Flamengo Pode Perder Até 50% Da Receita

Adidas estabelece meta de títulos para o Flamengo

Empresa poderá reduzir o valor do patrocínio em até 50% em caso de baixo rendimento do time. Objetivo é transformar o rubro-negro em um dos cinco clubes classe A da empresa, ao lado de Milan, Chelsea, Real Madrid e Bayern de Munique


A nova cúpula do Flamengo: Paulo Pelaipe (diretor de futebol), Eduardo Bandeira de Mello (presidente) e Wallim Vasconselos (vice de futebol)
A nova cúpula do Flamengo: Paulo Pelaipe (diretor de futebol), Eduardo Bandeira de Mello (presidente) e Wallim Vasconselos (vice de futebol) (Alexandre Vidal/Divulgação-Flamengo)
De 2013 a 2018 a Adidas pagará ao Flamengo 250 mil reais pela conquista do título do Campeonato Carioca; 300 mil para Copa do Brasil; 400 mil para Copa Sul-Americana; 1 milhão para o Brasileirão; 1,5 milhão para a Copa Libertadores; e 2 milhões para o Mundial da Fifa. Do sexto ao décimo ano de contrato, os valores serão mais altos


Depois de um ano conturbado, em que torcedores se revoltaram como fraco desempenho do clube e com a administração da presidente Patrícia Amorim, o Flamengo acertou, na noite de quarta-feira, o acordo que sinaliza a promessa de um 2013 mais promissor. Por unanimidade os cerca de 200 membros do Conselho Deliberativo aprovaram o contrato entre o clube e a Adidas – o documento ainda não foi assinado. Pelo acordo, que estava sendo negociado em sigilo desde abril, está previsto que a empresa alemã desembolsará 363 milhões de reais para ser a nova fornecedora de material esportivo do rubro-negro por 10 anos. O contrato de patrocínio já é o maior já firmado com um clube da América Latina, mas se o Fla atingir as metas esportivas traçadas pela parceria os valores podem ultrapassar 428 milhões de reais. Para isso acontecer, no entanto, o time de futebol terá de conquistar pelo menos dois títulos do Campeonato Brasileiro e uma Taça Libertadores da América nos primeiros cinco anos de contrato.

De 2013 a 2018 a Adidas pagará ao Flamengo 250 mil reais pela conquista do título do Campeonato Carioca; 300 mil para Copa do Brasil; 400 mil para Copa Sul-Americana; 1 milhão para o Brasileirão; 1,5 milhão para a Copa Libertadores; e 2 milhões para o Mundial da Fifa. Do sexto ao décimo ano de contrato, os valores serão mais altos. O título Carioca valerá 300 mil; a Copa do Brasil 380 mil; a Copa Sul-Americana 400 mil; o Campeonato Brasileiro 1 milhão; a Copa Libertadores 2 milhões; e Mundial da Fifa 3 milhões de reais.

A empresa, no entanto, poderá reduzir o valor do patrocínio em até 50% em caso de baixo rendimento do time dentro das quatro linhas. Caso o Flamengo fique abaixo da 13ª colocação no Campeonato Brasileiro, a Adidas diminuirá o valor do pagamento anual em 10 %. Se o clube cair para segunda divisão a perda passa a ser de 15 %. E se o time permanecer na Série B do Brasileirão por dois anos seguidos, a empresa poderá cortar pela metade o valor do patrocínio a partir desse ano.

Para o novo vice-presidente de planejamento e marketing do Flamengo, Luiz Eduardo Baptista, o Bap, articulador do acordo com a Adidas, a cláusula de risco não deve ser encarada como um problema pelo Flamengo. “Estamos firmando o maior contrato de patrocínio de um time de futebol na América Latina com a maior empresa de material esportivo do mundo para ganhar o Campeonato Brasileiro ou perder de muito pouco. Podem acreditar que muito antes dessa hipótese (de rebaixamento) acontecer eu pediria para sair do Flamengo. Isso não nos assusta porque não vai acontecer nunca”, disse.

O presidente eleito do clube, Eduardo Bandeira de Mello, comemorou a aprovação do contrato. “Estamos felizes pelos valores do contrato. Mas, acima de tudo, pelo fato de a Adidas colocar o Flamengo no mesmo patamar dos quatro maiores clubes patrocinados por ela no mundo”, disse. A proposta da Adidas é transformar o rubro-negro sul-americano em um dos cinco clubes classe A da empresa, ao lado de Milan, Chelsea, Real Madrid e Bayern de Munique, através de uma agressiva estratégia de marketing para a internacionalização da marca Flamengo. O projeto prevê, entre outras ações, a distribuição dos produtos licenciados do clube em 12.000 lojas próprias da Adidas espalhadas pelo mundo (45 no país) e a abertura de lojas Flamengo-Adidas no Brasil.

Segundo o CEO da Adidas na América do Sul, o espanhol Fernando Basualdo, a retomada da parceria (interrompida em 1991) era uma negociação natural por envolver a maior fabricante de material para futebol no mundo com o time de maior torcida do Brasil. “Em nossa liderança global estamos sempre próximos dos vencedores, dos melhores. E esse motivo nos traz ao Flamengo. Quero reforçar o nosso interesse de somar o Flamengo aos quatro grandes times que a Adidas patrocina em nível mundial, para poder internacionalizar a marca Flamengo, para proporcionar aos 38 milhões de torcedores do clube produtos Flamengo-Adidas e construirmos juntos uma marca Flamengo para o mundo todo”, afirmou Basualdo, aplaudido pelos conselheiros.

O acordo entre a multinacional e o clube carioca entrará em vigor em 1º de maio de 2013 e durará até 30 de abril de 2023. Enquanto espera a entrada da nova fabricante de material esportivo o time do Flamengo continuará entrando em campo vestido de Olympikus. A atual fornecedora permanecerá até o final do Campeonato Carioca de 2013, que começa no dia 19 de janeiro. Mesmo assim a Adidas se compromete a fazer um aporte financeiro de 58,5 milhões de reais até 28 de fevereiro. A verba servirá para pagar a rescisão de contrato com a Olympikus (que iria até o final de 2013) e para saldar os salários do atletas e funcionários do clube, atrasados desde novembro.

Uniforme - Os croquis dos novos uniformes mostram a intenção dos designers da Adidas em mesclar elementos futuristas com padrões clássicos dos uniformes do clube. A camisa número 1 do time será em vermelho mais escuro com apenas duas listras largas em preto. O modelo remete aos uniformes Adidas que o clube usou nos anos 80. Já os uniformes dos goleiros serão: camisa amarelo ouro com short preto (titular); e camisa e short cinza grafite (reserva). Além da tradicional segunda camisa, na cor branca, a Adidas também criou um terceiro uniforme preto com detalhes em prata. No peito desta camisa estará estampado em baixo relevo uma imagem do Estádio do Maracanã e outros elementos que remetem ao Rio de Janeiro, como o Pão de Açúcar e o Calçadão de Copacabana.

Por imposição contratual, os uniformes do Fla serão menos poluídos visualmente. A empresa alemã aceita que em 2013 o clube tenha até cinco patrocinadores e oito logotipos estampados na camisa. Mas exige que, a partir de 2014, o rubro-negro tenha no máximo três patrocinadores e quatro logotipos. De 2017 a 2023 só dois patrocinadores e dois logotipos poderão estar no ‘manto sagrado’.